Engrenagens Industriais 

 

 

Engrenagens são rodas dentadas que servem para transmitir o movimento de rotação de um eixo a um outro.

 

Cada roda é dividida em certo numero de dentes, que penetram nos vãos correspondentes de outra. Como todos os dentes de uma roda tem a mesma dimensão, o seu número de dentes dependerá da circunferência da roda, e será proporcional ao número de dentes e também ao diâmetro.

 

Conforme os diversos fins a que as engrenagens se destinam, elas podem ser de diversos tipos:

 

Uma engrenagem cilíndrica é quando os dentes estão igualmente dispostos sobre uma superfície cilíndrica e são paralelos entre si a à linha do eixo da própria roda.

 

Se os dentes são entalhados sobre uma superfície cilíndrica, não tendo uma direção paralela ao eixo, senão a direção de uma hélice, a engrenagem é helicoidal.

 

Uma engrenagem cônica é quando os dentes são entalhados sobre uma superfície cônica, convergentes a um mesmo pontos e paralelos às linhas geratrizes do cone.

 

Se os dentes não cumprem essa última condição, mas são paralelos à uma hélice, a engrenagem será cônica helicoidal.

 

Uma espécie de engrenagem helicoidal é também aquela que trabalha conjugada com um parafuso de rosca sem fim.

 

A técnica moderna exige que uma engrenagem não só transmita movimentos rotativos como forças e velocidades, às vezes muito grandes, como também a menor perda de força devido ao atrito, menor peso, maior durabilidade, e que a engrenagem trabalhe silenciosamente.

 

Para cumprir essas exigências as engrenagens devem ser construídas num material próprio para o serviço: a espessura dos dentes deve ser proporcional à resistência do material, e a força que a roda transmite e o perfil dos dentes devem estar em conformidade com certas curvas, tais como o cicloide e a envolvente.

 

 

Texto Extraído do Guia do Mecanico

SAFRANECK, FREDERICO - 1964